A zebra e o frango

Comentarios
Rússia e Coreia do Sul fazem jogo nivelado (por baixo), mas podem ameaçar a instável Bélgica

Akinfeev lamenta o primeiro "frango" da Copa (Foto: Paul Hanna/Reuters)

No jogo menos 'importante' do dia, Rússia e Coreia do Sul começaram mal e terminaram um pouco melhor. A Coreia apostou na habilidade individual, com o clássico "infiltrar pelo meio, puxar pro lado e atirar", principalmente com o atacante Heungmin, que arriscou chutes de fora da área, com sucesso variável: um arremate desviou em um jogador russo, rendeu o goleiro Akinfeev imóvel, e por muito pouco não abriu o placar.

A Rússia, pouco melhor, cruzou bolas na área e apostou um pouco mais na coletividade. De todo jeito, o primeiro tempo foi de baixo nível técnico e poucas oportunidades. As vaias seriam merecidas se as seleções tivessem algo mais a oferecer mas, dado o nível técnico de ambas, não havia muito o que esperar.

O segundo tempo, no entanto, compensou. A começar pela Coreia, que voltou mais atenta e variando mais seu arsenal de jogadas. Mesmo assim os chutes de fora da grande área continuaram, e o goleiro russo parecia querer dizer "chute mais forte que eu aceito": dois arremates escaparam de suas mãos, e o torcedor russo já começou a temer pela (in)segurança de seu guarda-redes. Não demorou muito para o inevitável acontecer: aos 22 Keunho, que entrou no lugar de Chuyoung, puxou para a direita e arriscou um chute. A pelota pipocou, escorregou, pererecou e entrou, caracterizando o maior frango da Copa até agora. Minutos depois, ainda podia se ver o arqueiro russo com o olhar perdido. 

Sorte que os companheiros se prontificaram a compensar a furada de Akinfeev: aos 28, Dzagoev recebeu dentro da área, cortou dois marcadores e chutou. O goleiro Sungryong defendeu, e Kerzhakov aproveitou o rebote para empatar o jogo. A partida continuou lá e cá, com chances pra ambos os lados, e Samedov isolou cruzamento rasteiro que veio da direita. Final de jogo, 1x1, e tudo aberto no grupo.

Kerzhakov comemora o gol de empate (Foto: Paul Hanna/Reuters)

A favorita Bélgica 'demonstrou', hoje, que pode sofrer com as bolas na área dos russos e os chutes de fora dos coreanos. Embora estes dois sejam inferiores em todos os aspectos, a disputa pelas vagas fica bem aberta - até mesmo pra zebra africana que, mais cedo, quase saiu passeando por Belo Horizonte. 

#Compartilhar: Facebook Twitter Google+ Linkedin Technorati Digg

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.