No duelo de novas gerações, Bélgica e Estados Unidos buscam sobreviver na Copa das Copas

Comentarios
Salvador começa a segunda fase, no nível da primeira

Texto de: João Vitor Rezende

A próxima terça-feira promete na Arena Fonte Nova. Depois de grandes duelos na primeira fase, como as goleadas de Holanda, Alemanha e França, contra Espanha, Portugal e Suíça respectivamente, o mata-mata já começa mantendo o nível dos primeiros duelos em Salvador. A tão falada nova geração belga, passou tranquilamente pelo grupo H. 3 jogos, 3 vitórias, 9 pontos, apenas 1 gol sofrido. Os estadunidenses, tão jovens quanto seus rivais de oitavas de final, mas não com uma primeira etapa tão fácil. Contou a favor, o fato de não ter levado tantos gols da Alemanha. 1 vitória, 1 empate, 1 derrota, e apenas 1 tento sofrido contra os alemães.

Cercados de observações e expectativas de um bom futebol, a Bélgica tem decepcionado os que esperavam show, passeio no grupo H. Mas os diabos vermelhos, nunca deram espetáculo. A seleção é repleta de destaques indivíduais como Courtois, Kompany, Fellaini, Mirallas, Lukaku e o craque do time Hazard, Marc Wilmots não consegue achar a melhor maneira de fazer suas estrelas renderem em campo. Mas, os belgas conseguem ser eficientes quando estão em apuros. Foi assim nos três jogos da primeira fase decididos nos últimos 20 minutos em cada peleja.

Os Estados Unidos vem surpreendendo pelo nível técnico apresentado no Mundial. Venceram Gana na primeira rodada, depois seguraram o melhor do mundo, e na sequência jogaram de igual pra igual frente a Alemanha, uma das favoritas ao título. As subidas pela direita de Johnson, o meio-campo de qualidade, com bom posse de bola, toque e agilidade, e a intensa movimentação de Dempsey no ataque, são as armas dos norte-americanos.

Duelo de bons jogadores, e também de bons técnicos, que prezam pela habilidade e não pela força física. Klinsmann pode aproveitar as duas linhas de quatro, intercaladas com 1 volante de seus adversários, e apostar na mobilidade e o avanço de seus volantes para dominar o meio. Hazard pode ser facilmente anulado, se permanecer preso na ponta esquerda. A solução de Wilmots para que os belgas apresentem um futebol mais vistoso, é deixar Hazard com liberdade em campo. Mirallas merece a titularidade pelas atuações na primeira fase. O esquema também precisa ser repensado, pois o 4-1-4-1 não vem dando certo. O 4-2-3-1 poderia se encaixar melhor, com Lukaku de referência e De Bruyne no banco.

Mirallas, o salvador belga (Foto: Gabriel Bouys/AFP)

O vencedor enfrenta nas quartas de final Argentina ou Suíça. Vale a pena conferir o duelo, e observar como os jovens selecionados se portam em um jogo de grande importância, como um mata-mata de Copa do Mundo. Um grande confronto nos aguarda e quem vencer ainda dará trabalho no Mundial.

#Compartilhar: Facebook Twitter Google+ Linkedin Technorati Digg

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.